Notícias

ECOVAP

A Transremoção executou o transporte de uma torre fracionada de derivados de petróleo para ECOVAP, um consórcio de empresas contratado pela Petrobrás para a ampliação de sua refinaria de São José dos Campos, no Estado de São Paulo. Este equipamento foi fabricado em Betim - MG e foi transportado em duas partes, já que por suas características dimensionais, não havia como transportá-la em uma única peça nas rodovias que ligam as duas cidades.

A parte superior da torre possuía o comprimento de 33 m, largura de 5,55 m, altura de 5.60 m e peso de 70 Y. Já a parte inferior tinha comprimento de 31 m, largura de 5,55 m, altura de 5,60 e peso de 110 T. Foram transportadas em dois conjuntos especialmente montados para acondicioná-las adequadamente, atendendo às normas de trânsito vigentes e a transferência de peso dos eixos para o pavimento.

Esses conjuntos modulares hidráulicos representam a última geração de carretas desenvolvidas pela marca francesa Nicolas. Somente neste tipo de conjunto transportador, que permite a modulação de várias configurações geométricas e a adição de múltiplos eixos é que se pode transportar cargas de tal magnitude.

Entre a contratação dos trabalhos e o início dos transportes, foram várias semanas de estudos minuciosos das rotas e manobras necessárias para vencer os incontáveis empecilhos encontrados no percurso. A melhor solução encontrada de acomodação passou inclusive pela rotação das sessões da torre sobre seu próprio eixo longitudinal, uma vez que as mesmas tinham vários bocais e interferências se projetando pela parte externa dos seus costados, o que dificultava muito o trânsito de cargas pelas vias públicas, havendo a necessidade de remoção de cabos aéreos de eletricidade, telefonia e tv's à cabo nas regiões urbanas de cidades de Minas Gerais e São Paulo.

Um percurso linear para transporte de cargas convencionais, ligando as duas cidades, distantes entre si de 630 km, foi aumentado para 947 km, em razão de interferências encontradas que não podiam ser contornadas, a não ser por rotas alternativas. E mesmo nessas, muitos desvios e manobras complexas foram necessárias para desvio de viadutos e passarelas de pedestres com gabaritos verticais insuficientes, e até a retirada temporária de pórticos de sinalização aérea foram executados, com a autorização dos órgãos de trânsito local.

Foi um grande desafio cumprido com êxito total, enfrentando adversidades climáticas, rodovias com trânsito intenso e muita tensão para o cumprimento de prazos contratuais. O transporte foi executado sem nenhum incidente ou avaria no equipamento, nas vias públicas ou aos usuários das vias por onde trafegou.

Informações: 55 11 3933.9494